terça-feira, 23 de maio de 2017

EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE tem gente enlouquecida por aí? Porque por aqui a coisa está piração total!
A cabeça está À MIL, as ideias fluindo e os planejamentos dando mais do que certo!
Ontem eu tive um insight ESTRONDOSO! 
Conheci a Karen Gasparin, idealizadora da marca Garimpeira e do Projeto Mercado. A Garimpeira é uma marca que eu acompanho há tempos e, por um acaso do destino (será?), tive a oportunidade de conhecer pessoalmente ontem! Marca LINDA, de roupas upcycling.
Eu acompanhei a amiga Klau Brentano, do Klau Brentano Atelier de Arte ,  neste encontro. Não sabia ao certo quem era essa pessoa que minha amiga iria encontrar. Aí, vendo ela enviar uma mensagem para a Karen, pude visualizar a minha sorte, literalmente!  
Já havia entrado em contato com a Karen para participar de  um evento. Acabou que eu não consegui participar e deixamos assim.
Ontem, então, trocamos uma ideia no seu apartamento, onde fica a Garimpeira. Conheci o processo de trabalho, o envolvimento das pessoas e a organização que a Karen faz. Incrível! Voltei com MIL ideias....
Fomos visitar os espaços onde ela promove,normalmente, o Projeto Mercado. Lugares incríveis e cheios de amor!
Por fim, cheguei em casa empolgada e agradecida. 

Algumas situações me levam para frente, e, percebendo as possibilidades, isso tem acontecido com frequência. Sou a pessoa mais crítica que eu conheço, em relação a si. Tanto é que o meu trabalho está sempre em transição e aperfeiçoamento.
Hoje pela manhã trabalhei em cima da minha funpage (www.facebook.com/otiliaecristina ). Finalmente, consegui selecionar o que eu realmente quero fazer. Sim, eu sou um canivete suíço, e isso é ótimo! PORÉM, às vezes é necessário cortar algumas "ferramentas", para que caminhos se abram e o foco aconteça! E foi isso que eu fiz.
O foco do atelier, de agora em diante, será na produção e criação das peças, através do reaproveitamento de têxteis diversos. Em breve, iniciaremos um projeto de customização de roupas também. 

Entre outras palavras, o upcycling será a base do nosso trabalho.O upcycling trata-se do reaproveitamento de materiais sem utilidade aparente. Estes materiais são transformados, respeitando suas características químicas e físicas, podendo assim retornar ao ciclo de uso. 
A produção está em transição e nos alinhavos finais.


Outra novidade MASSA que está por vir, é a criação de um site, para apresentar o atelier de uma forma mais universal, facilitando assim o acesso aos produtos. 


E é vida que URGE! Vamooooooooooooooos! 



segunda-feira, 8 de maio de 2017

Opa!!!
Fazia um tempinho que eu não aparecia por aqui...Mas por boas causas!
Algumas "questões" tiveram um BOOM nesses últimos tempos e o trabalho tem fluido muito bem, obrigada!

O Projeto Nós de Amor tem ganhado uma amplitude incrível! Criamos uma página para centralizar os pedidos e divulgações, e estamos muito contentes com os resultados :) A nossa última doação foi de R$708,00! Maravilhoso, né?

O atelier foi selecionado para participar da Fashion Revolution Week 2017, que aconteceu do dia 24 ao dia 29 de abril, na edição de Porto Alegre. O evento teve alcance planetário e incitou a discussão, acerca do consumo desenfreado, principalmente se tratando da moda. Aconteceram palestras, oficinas e a Feira de Moda Sustentável, que fechou o evento.


A cidade de São Leopoldo está entrando na onda dos eventos de rua, graças a Deus! hehehe Participamos da primeira edição do evento "A arte é o nosso trabalho", e fizemos váaaaaarios contatos! Além dos objetivos óbvios dos quais partimos para participar de eventos, as trocas, conversas e parcerias são estabelecidas nesses lugares. E é lindo de ver tanta gente unida,em prol da arte, de modo geral!!



Hoje recebemos no atelier duas mulheres MARAVILHOSAS, idealizadoras do projeto Pagu: Mulheres Criativas. Elas fizeram uma entrevista comigo, que será publicada em breve no blog Pagu Mulheres Criativas .  Minha pequena contribuição para aquela "luz" que muitas mulheres procuram,e que eu, vez ou outra, preciso também... Como sobreviver de arte, como encontrar meios de divulgação, como lidar com o machismo intrínseco na sociedade e como transformar tudo isso em potencialidades criativas, foram as principais pautas da nossa conversa.

Bom, por hora era isso :)
Em breve (muito em breve,prometo), postaremos sobre mais novidades!!!
As possibilidades estão no ar! Iuhuuuul!




segunda-feira, 6 de março de 2017

Feiras e eventos de Novo Hamburgo

Amigos, hoje trago um pouco das minhas experiências em alguns eventos que aconteceram em Novo Hamburgo nos últimos meses.
No ano passado aconteceu um BOOM de eventos na cidade. Festeja Hamburgo Velho, Hamburger Berg Fest, Viva Praça, Pólen, Piquenique Casa da Praça, Feira Viva, Boulevard Almirante Barroso, Na Rua, e sabe se lá quantos mais!
Eventos que  trouxeram as pessoas para as ruas, incentivaram o consumo local e integraram o povo!
Em alguns eventos fui como prestigiadora; em outros como expositora. Em ambos os casos, conheci pessoas geniais, fiz trocas super significativas e amigos que vou levar pra vida!
Acredito naquela ideia de que "quem não é visto, não é lembrado". Mesmo que sejam poucas peças, pouca produção, é MUITO válido participar de eventos e levar a tua marca para as ruas, por onde o povo circula. E digo mais, para quem é artesão: a maioria desses eventos não pedem carteirinha de artesão! Coisa que poucos sabem...
A feira que participo com maior frequência é a Feira Viva, evento que fomenta a sustentabilidade, o consumo consciente e local, a produção orgânica e a coletividade, tanto que o evento é organizado por todos os participantes. Cada um contribui de alguma forma, da divulgação à organização dos espaços.
Confesso que o lucro material é pequeno, mas o que construímos durante o evento, através de trocas, amizades e do famoso network, é muito valioso!
Este ano já está iniciando recheado de eventos, entre eles a Feira Viva e o  7º Bazar do Lar São Vicente- Edição Páscoa .
Gosto muito também de ir apreciar os meus amigos. Ouví-los contar sobre o seu trabalho, trocar experiências, aprender em termos de organização e ver gente!

Bom, amigos, os eventos estão aí e o negócio é colocar a cara a tapa! Mesmo de forma tímida, é bacana estar no meio do povo, falando sobre o teu trabalho! Super indico!

Um beijo!

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Mas e aí, dá pra viver de artesanato?

Sobreviver,viver e ainda guardar uns trocadinhos! E eu vou te dizer como :)
Primeiramente, NÃO INTERESSA O QUE FOR,faça com amor! Quer ser bancário?Seja! Quer ser vendedor?Seja! Engenheiro?Gari?Advogado? Siim! Por que não? Mas seja com PAIXÃO. Daquelas arrebatadoras, saca?
Pois é. Eu sou assim. APAIXONADA pelo meu trabalho. O que me leva a trabalhar MUITO, algumas vezes 12 horas por dia e em alguns finais de semana. Mas o que me faz ser saudável e alegre (uma vez uma vendedora de tecidos se admirou de eu ser alegre e trabalhar com costura- não entendi) é me respeitar. Tenho inúmeros problemas de coluna e me alongo a todo instante. Faço caminhadas, como certinho, bebo muita água e sei que preciso ter finais de semana e vida social.
E eu tenho! Acreditem! hahaha
Eu estudo bastante. Sobre tecidos. Sobre fios. Sobre arte. Artesanato. Gestão. Produzir por produzir não é comigo. Sinto a necessidade de agregar valor ao meu trabalho.

"Tá, mas e aí?Quando é que se 'ganha' dimdim com artesanato?"
Amigos, ganhar, faz tempo que eu não ganho. Acho que ganhei a última vez no meu anivers!hehhe
Mas eu CONQUISTO,diariamente. Acordo cedão (6:30 é cedo), vou caminhar, volto,tomo café e sorrio para as câmeras. hahah. Sei que 7:30 estou no atelier pronta para mais um dia! 
Tenho uma rotina semanal. Cada dia da semana é destinado à uma atividade: divulgação, pedidos, estoque,projeto e organização do espaço. 
Contabilizo tudo que entra e tudo que sai, cada moedinha. E divulgo. MEU DEUS DO CÉU como eu encho o saco dos meus amigos, tanto do Facebook (Fanpage ), como do Instagram (@morsluz)! E, bom, atualmente minhas redes têm este destino, doa a quem doer, heheh
Acredito que a divulgação nas redes,nos dias de hoje, tem um forte impacto nas vendas. Ter contatos, amigos, Q.I. (quem indica) é ESSENCIAL também.


E em um resumão, amigxs, as principais dicas são: AMAR o que se faz; FAZER bem feito; SE ADAPTAR; NÃO DESISTIR;  e, PRINCIPALMENTE,levar  o teu trabalho a sério. 
Viver de artesanato NÃO É MOLEZA, mas é possível! Atualmente pago minhas contas pessoais, ajudo com as contas em casa, invisto no atelier e guardo uns trocadinhos para futuros investimentos. 
Penso na possibilidade de me manter sozinha e vejo isso como algo real e, sobretudo, cada vez mais possível. :)

Boa semana!!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Ano novo- Vem 2017!

Pois então, minha gente querida, estamos finalizando mais um ano juntxs!
Este 2016, nos seus últimos suspiros, deixará ALGUMAS lembranças, heim?

Aqui no atelier,  o trabalho fluiu um tanto quanto confuso em alguns períodos do ano, em função de ter que conciliar com as aulas e planejamentos da escola.
Deixei a escola em outubro, pois percebi que esta não era a minha vocação.
Mesmo desconfiando disso desde o início da faculdade, resolvi ver no que ia dar. E deu! Conheci pessoas MARAVILHOSAS! Tanto a equipe diretiva, como o corpo docente foram muito bacanas comigo, desde o começo. Vou levar os alunos para sempre no meu coração! Mas aquilo que nasce com a gente, se não transborda, nos sufoca. E eu deixei transbordar!

Neste ano também fiz um curso de empreendedorismo criativo com o pessoal Eleven C , de São Leopoldo. Aprendi MUITA coisa útil para o dia-a-dia aqui do atelier, desde simples planejamentos, até métodos maravilhosos de organizar melhor o que passa na minha cachola!

Ah, o projeto Nós de Amor! Foi o meu encanto! Meu xodozinho! E minha maior realização, sem dúvidas!

Gastei pouco e fui muito feliz! Conquistei sorrisos, abraços, momentos inexplicáveis, que dinheiro algum compra...

Para 2017 estou planejando ALGUMAS novidades... Pretendo modificar um pouco mais a produção do atelier, para alcançar efetivamente a produção sustentável. Aos poucos, chegaremos lá!

Desejamos um 2017 REPLETO de pessoas boas, com boas energias. Saúde, amor e gratidão!




sábado, 3 de dezembro de 2016

Projeto Nós de Amor

Bom dia, amigos!
Hoje gostaria de contar para vocês sobre o Projeto Nós de Amor, idealizado há, mais ou menos, 3 meses.
Conheci a Luciana Schutz através da Lucy Linck, que me indicou como artesã para colocar em prática suas ideias, hehe.
A Lu tem uma sogra, a D. Erica, que ficou cega em decorrência de um glaucoma.
D. Erica ganha de seu filho André, cordas de algodão, em que ela faz nozinhos para passar o tempo. Era dito à ela que os cordões já finalizados com os nós eram encaminhados para alguém que dava um devido destino à eles. Na verdade, não existia essa pessoa. Foi então que nos conhecemos.
A Lu me pediu para fazer alguma peça,usando estes cordões, para que ela pudesse mostrar à D.Erica.
Acredito que a ideia do projeto surgiu quando eu vi a primeira boneca pronta.


Diante de tantas coisas boas que o Universo estava trazendo (parcerias,doação de materiais,etc.), resolvi retribuir.
Eu recebo muitos materiais de empresas calçadistas aqui da região. Desenvolvo peças e comercializo. E a necessidade de fazer  o bem por alguém sempre presente. Porém, não encontrava algo que tivesse ligação com o que eu desenvolvo no atelier.
Foi então que o projeto Nós de Amor surgiu! O nós traz também o significado de comunhão, compartilhamento e ligação entre as pessoas.
No mês de outubro conseguimos unir com a venda das bonecas o montante de R$120,00, doados a AMO Criança de Novo Hamburgo; no mês de novembro o valor total ficou em R$200,00, doados ao Canil Municipal de Novo Hamburgo; e agora no mês de dezembro doaremos o que conseguirmos com a venda das bonecas ao Lar São Vicente de Paula, de Novo Hamburgo também.
O que eu sinto em relação a isso? Gratidão e significado.
Amo o meu trabalho, mas eu não conseguiria fazer artesanato durante a minha vida toda, sem algum propósito. Do tipo: produzir, vender, receber, pagar contas, produzir novamente e assim por diante. Isso não faria sentido pra mim.
LÓGICO que preciso pagar contas, contribuir em casa e etc., mas fazer SOMENTE isso seria algo vazio para a minha existência.
Neste mês de dezembro já temos muitas encomendas das bonecas e espero dar conta de tudo,até o Natal!
Muitas crianças receberão presentes cheios de significado e amor. Tenho certeza disso.

sábado, 10 de setembro de 2016

Questões corriqueiras no trabalho de artesão

Hoje trago algumas questões corriqueiras no trabalho de artesão.


Bom, eu faço artesanato há alguns anos e algumas vezes  senti menosprezarem esta profissão, regulamentada por lei, inclusive.
Sou formada em Artes Visuais e DEOZOLIVRE confundirem um dos meus colegas com artesãos.... Era e é quase um xingamento no meio acadêmico.
Existem diferenças entre artesanato e arte e são bem evidentes, o mesmo acontece  entre a moda e a arte. Mas moda, né amigos, é moda! E eu amo muito também! hahaha
Mas é no fazer artesanal que nasceu o meu trabalho. E gostaria de pontuar uma questão que vem me incomodando há algum tempo já... A questão do valor do artesanato.
Vocês certamente já ouviram algum estilista valorizar as suas criações por terem alguns detalhes feitos à mão, artesanalmente. E vocês já verificaram o quanto isto agrega valor à peça? Valor e preço.
Aí, meus caros, chego na questão valor X preço.
Valor pode ser mensurado pela bagagem de conhecimento, pesquisas, trabalho que a peça carrega. O preço é o resultado disso tudo, sendo justo para a pessoa que produz e para quem consome.
Outra questão é o desconto.
Muitos clientes me procuram para desenvolver alguma peça e no final da negociação me pedem desconto ou perguntam se levarem mais de uma peça tem um diferencial no valor. Aí eu fico me questionando: a pessoa realmente sabe o que está consumindo? Ela realmente reconhece a diferença entre uma produção em massa e  um trabalho artesanal?
Podemos produzir MIL peças com o mesmo molde, mas NENHUMA ficará igual a outra. Por quê?
Por simplesmente CRIARMOS uma peça de cada vez, com o mesmo grau de dedicação, carinho e amor.

Quanto eu cobro nas minhas peças? Um valor justo. E digo valor, pois procuro desenvolver peças que levam conhecimento e história às pessoas, fruto de pesquisas e de um trabalho minucioso. Justo pra mim e justo para quem consome. 
<3 p="">